THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Ser macho é foda



Ser macho é coisa séria. E não pense que é fácil: na sociedade contemporânea, com o advento da viadagem sem limites, da propagação do bissexualismo, do conceito de moderno que se tem em liberar o ânus para outrem, não ser gay é contravenção.

 Oi, você é H.T?
 Que?
 Hi hi hi, é sim... H.T. É sigla pra hetero...

Nisso você acha que entrou numa festa gay por engano, mas logo descobre que não: estando em uma cidade grande, qualquer festa é gay, pois todos são gays. Ou modernos, que são os gays que não têm a macheza de assumir sua baitolagem.
E a conversa continua, para o seu desespero:

 Você tá acompanhado?
 Tô com um brother aí!
 Ah. entendi...
 Não, não! Não entendeu. Vim com um amigo. Amigo mesmo. A gente não se come o rabo...
 Ai, credo! Já entendi! Dá pra ver que você é um... um... hetero convicto.- diz isso olhando-o como se você estivesse acabado de se cagar nas calças

A situação é tão patética que você sente uma ponta de orgulho de si mesmo por ter sido reconhecido como um membro da resistência.
Aí você tenta uma manobra arrojada:

 Tá, cara... e tu tá com alguma amiga aqui?
 Tô sim... com várias...
 Opa, cadê?
 Ai, bobo, esquece. Elas não gostam de homem, não...

Ser macho é complicado. É uma vida de grandes provações e hábitos analógicos em um mundo completamente digital. É usar a escada num mundo de elevadores. É assar a carne na brasa num mundo de forninhos elétricos. Em suma, ser macho é foda.

Macho deixa as unhas do pé crescerem até muito além do limite tolerável e não corta: vai tirando os pedaços com a mão
Macho se recusa a comprar papel higiênico macio. Um porque é mais caro e dois porque cu de macho não é pra ser massageado.
Macho sabe que é um absurdo comprar presunto quando se tem a mortadela por um preço muito mais em conta e possui o espírito apurado pra saber que pagar R$12,00 numa garrafa de cerveja belga é um dos melhores negócios do mundo
Macho se apaixona por todas as mulheres pois este é o único meio de não se apaixonar por nenhuma. Macho sabe que paixonite é coisa de moderno!
Macho tem no futebol a expiação para todos os seus pecados, torce por somente um time e não consegue assistir a um jogo sem utilizar todo o repertório de palavrões que agregou na vida
Macho conhece mais termos de baixo nível do que nomes de cores ( no linguajar macho, não existe bordô, mas vermelho escuro. Não existe lilás, mas azul bizarro e tampouco o ocre, mas o cor de caganeira)
Macho trai a namorada com uma guria pior do que ela em todos os aspectos. Fazer qualquer coisa diferente disto seria demonstrar sensibilidade, coerência e respeito, características muito modernas.
Macho se divorcia na hora caso a mulher, fazendo uma limpa completamente desnecessária, jogue fora os seus times de futebol de botão. E ainda gritará, a meio centímetro da cara da filha da puta:

 Tu sabe quem tu jogou no lixo? O Gamarra! O Gamarra!

Aí ela perguntará:

 Quem?

E você chegará à conclusão que não pode ficar casado com alguém que não saiba quem é o Gamarra.
Logo depois se dá conta que só um homem saberia quem é o Gamarra e a importância do Gamarra num bom time de futebol de botão.
Então você resolve que, como casar com um homem é coisa moderna demais pro seu gosto, o negócio é ficar sozinho mesmo.

Sim, existem mulheres que, além de bonitas, conhecem futebol...

… mas idiotas como nós jamais conseguirão uma mulher assim!


Topo do playlist:


Noriel Vilela - Acocha Malungo
Astor Piazzolla - Libertango
Bebeto Alves - Trova da casa
Noriel Vilela - Saravando Xangô
Astor Piazzolla - Meditango

Pensamento da semana:

O lance é ser o PIOR possível. Deus só tem pressa de ter as pessoas que valem alguma coisa ao lado dele.

8 comentários:

Erica Ferro disse...

KKKK
Cacilda, tu és muito engraçado. Na moral, ri muito aqui.
Acho que eu prefiro um homem moderno, rs.

Ei, eu gostei muito do .pdf, mas, velho, o ruim é que eu não saco muito de espanhol. Oh Deus, mal sei o português!
Mas adorei a dica e vou procurar comprar o livro devidamente em português, rs.

Valeu, Kehrwald!

Ana Seerig disse...

Bah, muito bom, Kehrwald!

E tu sabe que tem uma onda de guria lésbica por aí? O pior de tudo é saber que tenho que ficar de olho pra não ser confundida com uma, o que já aconteceu por sinal? Por quê? Talvez porque eu não seja desesperada por compras (pelo contrário), não use uma tonelada de maquiagem e porque não tem o que me impeça de ver/ouvir um jogo do Grêmio... E quando eu conveço as pessoas que não sou lésbica, elas me dizem que vou acabar casando com um colorado ou algo do tipo. Se isso acontecer, pobre coitado.... ahsauhsuashaus

Submundo disse...

GAMARRA! Sensacional!

priscila borges disse...

macho é foda; macho & foda; macho-foda = mais raro que índio charrua!

PS: modernidade não existe. é como o papai noel, democracia ou... sei lá, o capitalismo. rá!

priscila borges disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mauricio disse...

O tempo também não existe.
Nada existe.
Eu existo?
Eu...

(...)

Anônimo disse...

Ótimo, huahuauhahuauh

H.

Marcell Schröer disse...

É como a gente vivia dizendo pra Márcia ao ouvi-la falar dos amigos:

- chamando-os pelos nomes de guerra, pois ficavam brabos aos serem chamados pelo nome real;
- que se fantasiavam de drag queen do Inferno pra sair à noite;
- que gastavam mais dinheiro com roupas de couro do que com cerveja;

a gente é muito atrasado. Não saímos de 1835 ainda.