THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Sonhos



Sou atormentado por um sonho recorrente.
Acredito que faça uns 8 anos em que, ao menos uma vez por mês, ele apareça. Muda o enredo, mudam os cuadjuvantes. Mas o cerne da questão é sempre o mesmo.

Descobrem que eu não terminei o segundo grau e eu sou obrigado a voltar pro colégio.

Como leitor de Jung, às vezes procuro encontrar algum significado nisso tudo. Pode ser porque eu sinta falta do colégio (gargalhadas), pode ser porque eu nunca tenha tido uma formatura nem permaneci tempo suficiente em educandário algum a ponto de estabelecer raízes naquele lugar...
Mas o mais certo (acho) é o fato de eu saber que, cuando apelei pro supletivo - pois não agüentava mais a escola - e fiz um vestibular só pela avacalhação E PASSEI, a diretora do supletão me passou um atestado de conclusão do ensino médio, antes que eu acabasse o mesmo para que eu pudesse me matricular na universidade.

Desnecessário dizer que nunca mais fui visto nas aulas...

Em suma, depois de aventuras insólitas por cursos de graduação aleatórios (jornalismo (UCS), direito (UCS, UNIDF e FSG), letras (UNOPAR) e medicina (Bolívia)), encontro-me aqui, randomizando e tocando o barco viking rumo ao precipício em que o mundo acaba!

Estou postando isso pois a maioria das pessoas me conheceu depois que sai da escola e algumas ficam curiosas sobre como se passou minha vida colegial.

"foi legal, cuando descobri o ensino público" - é o que respondo normalmente.

Segue "histórico escolar" entre primeiro e segundo graus?

1989 - 1991 - Sevigné (Porto Alegre)
1992 - 1996 - La Salle (Caxias do Sul) - Convidado a não renovar a matrícula para o ano seguinte
1997 - São José (Caxias do Sul) - Reprovado, consegui apelar para uma brecha do Mec na época e fazer um intensivo de férias no Culturão Supletivos, e, assim, ter minha carreira no ensino particular encerrada pois não fui aceito de volta.
1998 - 200o - Emílio Meyer (Caxias do Sul) - Onde aprendi tudo o que precisava realmente sobre a vida pré-adulta: brigas generalizadas, neguinho se dando facada no recreio, futebol penitenciário, diversidade total e Lei do Cão. Não fiz sequer uma inimizade e guardo amigos desta época até hoje. Surtei no final do segundo ano, e...
2001 - Culturão (Caxias do Sul) - Expulso no meio do primeiro bimestre
2001 - Mauá (Caxias do Sul) - Convidado a não renovar a matrícula para o módulo seguinte
2001 - Mutirão (Caxias do Sul) - Em uma semana, transferido para o...
2001 - Culturão (Caxias do Sul) - Segundo grau completo e fim de saga!

ps: o ensino superior teve momentos tão ou mais folclóricos, mas esta fica pra outra...

Topo do playlist:

Rafael Froner - Farol
Rafael Froner - Caminante
Álgida - Requiem
Glênio Fagundes - Cismando
Coplas de Martín Fierro - Aqui me pongo a cantar...

3 comentários:

Marcell Schröer disse...

Cara, eu tenho esse sonho de vez em quando também. Sonho que tô na escola, me fodendo em alguma prova de matemática e sendo humilhado pelos demais.
Mas as únicas coisas similares entre minha história e a tua é que fui expulso no meio de 99, rodei e depois apelei pro supletão (e passei no vestibular em primeiro lugar). Sou um negro.

Ana Seerig disse...

É, todos temos esse 'amor' pela vida escolar, uns mais, outros menos...

Nei Paulo disse...

Eu sou tistimunha di qui eu o Maurício sofremos no Emílio em 99. Só si fudemo na direção, não deixavam nem gazear, pular o muro, desenhar nas classes. O regime era torturador. As únicas coisas boas eram o futebol penitenciário e as amizades que tenho até hoje.